Connect with us

F1BC Cup Pro 2007/1 @ Interlagos

Em mais um fim de semana marcado pela competitividade e equilíbrio entre os participantes, Francisco Aguiar conduziu seu FW24 para a primeira vitória da Williams no F1BC, em corrida disputada no Brasil, contando com sua habilidade, pois a corrida foi disputada sob chuva, e sorte, já que seus concorrentes diretos a vitória, Sergio Kolachinski e Rodrigo Wizard, tiveram problemas com as estratégias adotadas pelos seus chefes de equipes.

Qualificação
1 Rodrigo Wizard (SP/Ferrari), 1:14.183
2 Francisco Aguiar (RJ/Williams), 1:14.859
3 Sergio Kolachinski (PR/Ferrari), 1:14.871
4 Deco Ganecci (SP/Williams), 1:16.536
5 Sergio Lopes (SP/Arrows), 1:16.815
6 Rodrigo Dias (PR/BAR), 1:19.016
7 Eduardo Azeredo (RJ/Jordan), 1:21.701

Apesar do Safety Car entrar em cena após duas tentativas de início de corrida por conta de acidentes, a largada foi limpa e os competidores se respeitaram bastante. Na primeira volta, Sergio Kolachinski e Rodrigo Wizard disputaram ferozmente o primeiro lugar. Já na 2ª volta, com o erro de Wizard, Kolachinski assumiu a ponta e a cada volta abria vantagem a seus adversários.

Porém, o mundo é uma caixinha de surpresas. Sergio Kolachinski, líder absoluto e com mais de 15 segundos de vantagem, foi traído por Jean Todt que, em uma estratégia desastrosa, deixou seu piloto sem combustível dentro dos boxes, há pouquíssimos metros de realizar seu pitstop. Fim de corrida para o vencedor moral do GP do Brasil.

Enquanto isso, Eduardo Azeredo também foi traído pela sua equipe: O seu motor Honda RA002E lhe deixou a pé logo na 3ª volta, na Curva do Sol. Já Deco Ganecci conduzia sua Williams sem exageros e quase terminou sua corrida sem combustível e Rodrigo César, estreante, foi perdendo sua coleção de asas traseiras pelo circuito, deixando seus mecânicos atentos a qualquer chamado. Contudo, manteve seu carro na pista e levou para casa pontos importantíssimos.

A vitória então estava certa para Rodrigo Wizard, já que em seu pitstop adotou uma estratégia radical que funcionou: trocou seus pneus de chuva para intermediários. Resultado: a cada volta a vantagem para o líder, Francisco Aguiar, caía 1 segundo e meio. Faltando 4 voltas para o fim, Wizard e Aguiar se estranharam no Laranjinha, não comprometendo a estrutura de seus bólidos. Quando tudo se encaminhava para uma bela vitória de Rodrigo na penúltima volta, o incrível aconteceu.

A super estratégia planejada para ele também falha. O piloto da Ferrari necessitou realizar um splash and go, deixando a vitória cair no colo do piloto da Williams. Wizard ainda conseguiu cruzar a linha de chegada em 2º lugar, seguido pelo piloto da Arrows, Sergio Lopes, conquistando o primeiro pódio da equipe. A próxima etapa será no Autodromo Enzo & Dino Ferrari, dia 17/03 em San Marino.

Final, 23 voltas
1 Francisco Aguiar (RJ/Williams), 30:46.620
2 Rodrigo Wizard (SP/Ferrari), + 24.325
3 Sergio Lopes (SP/Arrows), + 45.105
4 Deco Ganecci (SP/Williams), + 1 volta
5 Rodrigo Dias (PR/BAR), + 7 voltas
6 Sergio Kolachinski (PR/Ferrari), DNF/Fuel
7 Eduardo Azeredo (RJ/Jordan), DNS
Volta mais rápida: Rodrigo Wizard

Entrevistas pós-corrida

Francisco Aguiar: “Olha, estou sem palavras até agora. Comemorei bastante dentro do cockpit. Fiz uma corrida limpa, sem erros e confusões. Tenho que agradecer aos mecânicos, a equipe que foi perfeita e aos competidores diretos, Wizard e Kolachinski, que valorizaram a vitória. Não me sinto tão feliz desde na Austria/06 com a Stewart, minha 1a vitoria. Sempre sonhei com uma vitória em Interlagos, berço do automobilismo brasileiro. hoje, Com certeza, tive muita sorte, mas é o retorno de um trabalho árduo.”

Rodrigo Wizard: “A pole-position foi bem disputada, e a corrida também. Percebi que meu carro estava muito pesado, com o tempo foi ficando pior, e pela primeira vez a equipe deu um sinal de que meus pneus estavam gastos demais. Com tudo isso, concluí que a melhor opção era pneus intermediários ao invés de chuva, e por isso consegui tirar 16 segundos de diferença para o Chico, que tinham sido abertos com um enrosco com o Rodrigo César que estava de retardatário. Mesmo assim o consumo de combustível estava acima do esperado e, mesmo eu estando com uma reserva a mais programada, tive de fazer o “Splash and Go” para terminar na segunda colocação.”

Sergio Lopes: “Corrida fo**… corrida do car**ho!! Desde o início tinha consciência que poderia ir muito bem nessa prova, tanto no seco ou em pista molhada. O Arrows é um carro limitado, mas extremamente regular e de fácil condução…Porém o pódium seria um questão de sorte, e isso aconteceu com a parada do meu xara com falta de combustível… Sem errar e sendo constante contribuiu para o meu 1º pódium no campeonato.”

Advertisement

Facebook

Advertisement

VÍDEO DESTAQUE

More in Sem categoria