Connect with us

Entrevistas

Especial Categorias Sportscar – Bruno do Carmo: automobilismo virtual x automobilismo real

Especial Categorias Sportscar – Bruno do Carmo: automobilismo virtual x automobilismo real

Bruno do Carmo é um dos principais pilotos brasileiros quando o assunto é o iRacing. O piloto da Bardahl SimRacing retornou aos campeonatos do F1BC na temporada 2018/1 e com uma campanha digna de quem não só tem seu destaque no automobilismo virtual, mas, também, no clube.

O duelo com o companheiro Neto Nascimento durante a temporada rendeu boas histórias e terminou com a confirmação de mais um título de Bruno do Carmo na Sportscar Pro, que, no próximo período de corridas, permanecerá com as mesmas configurações, a exceção do sorteio do volante G29 da Logitech, que passou a patrocinar a Sportscar Light.

Piloto não só no ambiente virtual, Bruno do Carmo conversou com o F1BC sobre o último título, sua relação com o automobilismo desde a infância, a sua possível ausência na próxima temporada da Sportscar Pro e muito mais. Confira!

F1BC: Seu irmão mais velho, Fábio do Carmo, viveu uma experiência no automobilismo real, né? Ele foi uma influência para você? (Influência boa nessa caso, risos!)
BC: Totalmente! Desde criança acompanhei o Fábio nas corridas de kart e em algumas etapas na Formula Ford no extinto Jacarepaguá. Além disso, a imensa paixão dele por automobilismo, influenciada também pelo meu pai, me contagiou completamente. Todas nossas brincadeiras eram sempre relacionadas a carros, corridas, competição, “virar tempo” de bicicleta, rolimã, tico-tico ou Lego. A falta de patrocínio e condições financeiras o afastou das pistas, sobrando a nós os simuladores. Tudo que sou hoje e conquistei no automobilismo virtual é graças a ele. Técnica de pilotagem, acerto do carro, mentalidade. Hoje ele tem duas prioridades, Sofia e Julia, mas tenho certeza que em alguns anos ele vai voltar ao automobilismo virtual e disputar campeonatos novamente.

F1BC: O que você pode dizer da relação automobilismo real x automobilismo virtual? Um ajuda o outro? O outro ajuda o um? Assistimos um vídeo na sua rede social em que você declara que os conhecimentos do traçado de Curitiba captados pelo simulador te ajudou na pilotagem de um carro real no circuito. É realmente parecido?
BC: Tive poucas oportunidades de pilotar em pista. A primeira foi em Interlagos de Formula Alpie, um treino de Kart 125, Veloce no kartódromo do Velopark, duas vezes de Sandero RS no Autódromo de Curitiba e de Ferrari 430 e Audi R8 em Homestead-Miami Speedway. E é incrível como todas as vezes tudo me pareceu extremamente natural. É como se eu estivesse lá a vida toda. Na primeira freada no S do Senna em Interlagos, errei o punta-taco e vim de lado na 1º perna, corrigi rapidamente com a maior tranquilidade e continuei, o que é surpreendente pra alguém que nunca tinha vivenciado isso antes. Eu não tenho dúvidas de que o simulador prepara um piloto e isso já é constatado por muitos pilotos reais do mundo todo. A física, o comportamento do carro, as ondulações da pista, o treino de concentração e foco, é tudo muito próximo ao real. A duas únicas diferenças é o preparo físico que um carro exige do piloto e o fator medo que o simulador é incapaz de reproduzir. As altas forças G’s que você sofre em uma pista pode causar desconforto e atrapalhar algum ótimo “piloto virtual”, muito rápido no simulador, mas em pista real não consegue ter o mesmo desempenho. No meu caso eu senti o contrário, as forças G’s ajudam muito a entender ainda mais o carro, sua reação é mais rápida, é mais fácil mantê-lo equilibrado do que apenas olhando para um monitor. Mas ainda sim, pilotar no limite em uma pista requer muita coragem.

F1BC: Já faz um tempo que você corre no F1BC, mas você lembra como veio parar aqui? Como você conheceu o F1BC e porque despertou o interesse em participar dos nossos campeonatos?
BC: O F1BC foi o primeiro grande clube de automobilismo virtual que surgiu. Tínhamos campeonatos esporádicos, com transmissão online também, mas a primeira liga/clube a oferecer um exclusivo troféu e diferentes campeonatos foi o F1BC. Foram vários campeonatos, inúmeras disputas, fui campeão até de Nascar. Foi uma época muito boa e tenho muito orgulho de ter sido parte do começo do automobilismo virtual no Brasil junto com o F1BC.

F1BC: Você passou um tempo afastado dos campeonatos do F1BC. Compromissos da vida real interromperam a continuidade nas pistas virtuais?
BC: Foi a época que assinei o iRacing. O F1BC não tinha campeonatos nesse simulador. Foi por isso nosso afastamento.

F1BC: Pelas vitórias e títulos, você com certeza está entre os principais pilotos brasileiros no iRacing. Qual a importância desse feito para você?
BC: A importância é gigante. Portas se abriram devido aos resultados que apresentamos. Hoje temos o apoio da Bardahl no Brasil, uma grande empresa que investe pesado no automobilismo e que também acreditou no nosso trabalho no simulador. Cenário inimaginável a alguns anos atrás, mas com o crescimento do e-sports no mundo, acaba sendo um atrativo para as empresas, mesmo em um nicho muito seleto como o automobilismo virtual. Lá fora já existe quem vive apenas disso, aqui no Brasil essa realidade ainda é distante. Mas não deixa de ser um hobbie/business, o que já é um grande feito, visto que o próprio automobilismo brasileiro vem capengando nos ultimos tempos. Eu e Neto Nascimento fomos a primeira equipe brasileira a entrar no Mundial de Endurance do iRacing, campeonato de mais alto nível comparado a qualquer outro simulador da história. Os melhores pilotos virtuais do mundo estão lá. Aos poucos vamos ganhando mais destaque e tenho certeza que mais portas se abrirão.

F1BC: Falando em iRacing… Na sua visão, é o melhor simulador atualmente?
BC: Sem dúvida. E não é só na minha visão. Só no iRacing você tem a possibilidade de encontrar na pista pilotos como Rubens Barrichello, Sergio Sette Câmara, Scott Mclaughlin, Agustin Canapino e muitos outros pilotos reais worldwide. O fato de ser um serviço de simulação em constante desenvolvimento, com estudo a campo, tecnologia de ponta, faz do iRacing único. Nenhum outro simulador combina tantos elementos de simulação, em termos de comportamento do carro em pista e pilotagem, com um multiplayer de extrema qualidade. Ele não é perfeito, muitos pilotos reais reclamam da física do pneu, desgaste, temperatura de pista, vácuo exagerado, que fogem um pouco da realidade. Mas ainda assim, não se compara com os outros simuladores. Não é atoa que a equipe Williams de F1 usava uma versão privada do iRacing no seu simulador e não é atoa que centenas de pilotos reais estão lá.

F1BC: Agora falando sobre a última temporada. Foi um retorno com belas vitórias e um título. Qual a sensação de voltar a ser campeão no F1BC e na Sportscar Pro, categoria que já possui característica de ter grid com grandes pilotos do automobilismo virtual?
BC: É nostálgico. Voltar a ganhar no F1BC depois de tanta história, encontrar os amigos daquela época, é uma grande alegria.

F1BC: Na reta final do campeonato, na etapa de Okayama, você disputava a liderança com seu companheiro de equipe, Neto Nascimento. Aí você se enroscam e ambos se dão mal na prova. O que aconteceu naquele lance e como foram os bastidores do incidente? (principalmente no Discord, risos!)
BC: Okayama é uma pista de difícil ultrapassagem com os GT3 e minha performance em comparação com a do Neto era muito parecida. Eu precisava sair muito colado nele na reta oposta pra conseguir ultrapassar, o que dificilmente acontecia, apenas com um erro do Neto. Consegui colocar do lado uma ou duas vezes antes do incidente. Mas ele sempre me deixava o lado de fora, quase impossível de passar com um cotovelo tão fechado na curva seguinte. Porém foi um erro ridículo da minha parte, onde eu não estava forçando nem nada. Viemos lado a lado, fiz a frenagem tranquilamente e iria voltar para o traçado atrás do Neto. Mas eu não esperava que nossas velocidades seriam tão diferentes naquele momento e acabei tocando ele e em seguida capotando-o. Eu ainda paro o carro esperando que ele conseguisse voltar a minha frente, mas o carro dele não desvirou. Neto me parabeniza no rádio ironicamente, eu, vergonhosamente, peço desculpas e tentamos terminar a prova. Naquela mesma semana, em outro campeonato, eu já tinha batido no Neto na mesma pista e acabado com nossas corridas, estando em P1 e P2, igualmente. A decepção foi em dobro. Mas como sempre tivemos uma boa vantagem da equipe , o prejuízo não foi tão grande e pudemos rir do ocorrido já no dia seguinte. Neto, brincando, continuou me xingando durante alguns dias, eu continuei falando que ele não deve andar nunca na minha frente que acontece essas coisas, o lugar dele é atrás de mim e por ai vai. O resto da equipe zoa nós dois até hoje quando eu e o Neto largamos na frente. Willian Candido fala sempre pro Eduardo Borgert: “Relaxa Borgert! É só esperar os dois tonto baterem que nós ganhamos”. Fazer o que, como disse Mark Webber e Sebastian Vettel sobre o GP da Turquia de 2010 , “shit happens…”.

F1BC: Bruno do Carmo vem para defesa do título na temporada 2018/2 ou vai disputar outra categoria?
BC: Outra categoria não. Eu busco sempre o mais alto nível nos campeonatos combinado com uma boa premiação e, ao meu ver, a Sportscar Pro entrega isso. Preciso muito de um volante novo e o sorteio do G29 me interessa bastante. Mas ainda precisamos alinhar algumas questões com a equipe e o patrocinador para confirmar nossa participação. Vamos ver.
Extra:
F1BC: Na próxima temporada, a possibilidade de haver sorteio do volante G29 na Sportscar Light, até então, e não na Sportscar Pro. Podemos contar com a sua presença mesmo assim?
BC: Putz! Sem sorteio acho difícil.

F1BC: Qual a mensagem que você deixa como avaliação do F1BC? Você recomenda o nosso clube para os pilotos virtuais que ainda não correm aqui?
BC: Com certeza. O F1BC te dá a possibilidade de participar não só em diferentes carros e categorias, mas também em diferentes simuladores, com boas transmissões, profissionalismo e premiação. É um prato cheio pra quem quer se sentir em uma competição de verdade e elevar o nível da simulação a um novo patamar.

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A TEMPORADA 2018/2

Inscreva-se em www.f1bc.com/inscricoes, preenchendo o formulário completo. Todos os dados serão computados no banco de dados do F1BC, que retornará com agilidade aos pedidos com as informações de pagamento e demais confirmações.

O F1BC tem o patrocínio de Aguiatech, Aliança Consultoria, Área Nobre Estacionamentos, Doutor Lubrifica, Fanatec, Logitech, M7Help, Poesia Perfumes, RealGame, e o apoio de Canal Sim-Force, F1 Brasil, F1 Mania, iRacing, Reiza Studios, Sector3 Studios, SimRacingTools, e SimSync.

Advertisement

Facebook

Advertisement

VÍDEO DESTAQUE

More in Entrevistas