Conecte-se conosco

Quem Somos

Nos games desde seu primeiro Atari. Na paixão por velocidade, a partir dos primeiros álbuns de figurinhas da F-1 nos anos de 1980. Navegando na Internet já em 1996 com os jurássicos modem 28.800 kbps. Tudo isso junto só poderia resultar em automobilismo virtual.

Em um período de transição em estudos e trabalho que reforçara ainda mais estas paixões, Rodrigo “Wizard” Steigmann iniciava com um grupo de amigos o F1 Brasil Clube. Espírito de liderança e extrema dedicação lhe deram o posto de administrador. E mesmo que trabalhando em sua carreira, em jornalismo e assessoria de imprensa no automobilismo, a aposta sobre o F1BC o fez largar tudo e se concentrar em algo próprio, que ainda lhe permitisse exercer suas paixões da sua maneira.

Rodrigo ainda teve de aprender tarefas que não estavam em seus planos – transmitir e narrar corridas, por exemplo -, bem como desenvolver todo um perfil de contato com o público, além de ter que adquirir conhecimentos sobre as mais variadas áreas técnicas dos simuladores. Assim é a rotina do Diretor Geral do F1BC: planejar, executar, conhecer e gerenciar de tudo um pouco, o que significa uma boa intensidade de trabalho.

Um dos pioneiros na simulação online, o curitibano Ronan Mendina passou por todos os estágios da evolução deste esporte virtual, se aprofundando em todas as áreas possíveis, técnica e esportivamente.

Quando a atividade das corridas online começou a crescer, Ronan já sabia modelar carros para os games, fazer artes 3D, personalizar pinturas dos mesmos e construir websites (além é claro de pilotar em alto nível e com muita noção de fair play), o que lhe despertou o interesse em fundar uma equipe virtual e ampliar seus conhecimentos agora para uma visão esportiva deste ambiente.

Exigente por qualidade, Ronan encontrou no F1 Brasil Clube sua casa, e desde então passou a ser um fiel membro. Tal motivação levou Mendina a conquistar através de sua equipe o sucesso em duas épocas diferentes, com títulos e topo do Ranking F1BC, comprovando sua competência na liderança de grupos. Encerrando seu ciclo como piloto e chefe de equipe, Ronan Mendina decidiu se dedicar exclusivamente ao F1BC, colocando à disposição todo seu conhecimento, senso de justiça e liderança em prol do clube.

De uma pilotagem responsável e veloz a um bom relacionamento com seus adversários, Rafael Amaral construiu em sua carreira fatores que culminam na possibilidade de ser membro da Equipe F1BC para atuar na sempr difícil missão de dirigir campeonatos e liderar estes grupos nos grids de largada.

Piloto virtual desde 2009, o paulistano chegou ao F1 Brasil Clube com um grupo de amigos, e por aqui permanece até hoje graças à estas amizades formadas ao longo do tempo. Sua carreira nas pistas é curiosa, já que sua preferência e destaque maior de desempenho é nos circuitos mistos, especialmente em carros de fórmula, mas seus maiores resultados e título chegaram em competições dos ovais – título na Nascar Light e vices-campeonatos na Indy Light e Indy Junior.

Esta polivalência sobre as diferentes modalidades do automobilismo lhe garantiu um conhecimento sem igual para ser aplicado na liderança de campeonatos, atuando na parte esportiva com o respaldo do F1 Brasil Clube e dos pilotos que confiam em seu trabalho.

Muitos que no F1BC entraram pré-adolescentes, hoje seguem curtindo o clube agora como adultos. E Mohamad Mourad é um dos maiores exemplos disso, conquistando seu espaço dentro e fora das pistas, como narrador nas transmissões ao vivo.

Mohamad pegou uma época do F1 Brasil Clube em que tudo era rústico: voltamos a 2008, com o antigo game F1 Challenge 99-02, sem transmissões ao vivo nem direção de provas ativa. E o “kibe” como é chamado fez a proeza de cortar a “Bus Stop” de Spa-Francorchamps em todas as voltas, sendo punido e amaldiçoado por todos. O tempo passou, e Mohamad voltou ao F1BC em 2011, redimido e com vitórias e vices-campeonatos na Formula Challenge e Formula Pro. Mas o paulista quis mais, e passou a se desenvolver nas narrações das transmissões ao vivo do F1BC, se revelando como excelente locutor.

Mohamad Mourad hoje tem o carisma de todos os espectadores e até mesmo os adversários em pista. O F1 Brasil Clube se orgulha em hoje dar espaço novamente a ele, e através deste exemplo passou a dar uma segunda chance àqueles que mostram disposição em participar.

Piloto dos mais consagrados no automobilismo virtual, Henrique Mandziuc encontrou no F1 Brasil Clube sua casa para prosseguir sua carreira de multicampeão, conquistando espaço e atuando em prol do clube em vários aspectos, hoje presente nas transmissões ao vivo.

Henrique tem uma história de evolução nas pistas parecida com a do F1BC, começando com o F1 Challenge, passando para o rFactor, depois Game Stock Car, iRacing. rFactor 2, etc. E isso para um piloto que teve de começar com os equipamentos mais primitivos, computadores antigos e joysticks até chegar na tela plana e volante, significa muitos anos e quilômetros de experiência. Ainda mais com Mandziuc, que acumulou muitas vitórias, títulos e já guiou fórmulas, turismo, GTs e trucks, até chegar ao topo do Ranking F1BC no final de 2015.

Henrique colocou seu equipamento de última geração e seus conhecimentos em vídeo a serviço do F1BC para realizar transmissões ao vivo em altíssima qualidade, além de ser um comentarista de observações precisas, graças a sua experiência nas pistas e como bom entendedor do riscado.

Desde 2007, Cadu tem uma importância vital na evolução do F1 Brasil Clube, tendo passado por diversas funções, mas sendo essencialmente um homem de ideias e inovações, colocando em prática todo seu conhecimento em marketing e também participando do processo de evolução das transmissões ao vivo.

Quando o F1BC resolveu criar sua primeira categoria Light, lá estava Cadu iniciando sua carreira de piloto. E não foi nada fácil: o paranaense teve de aturar adversários imaturos e afobados, passando por uma prova de fogo e um teste de nervos. E nem isso lhe tirava o ânimo de já naquele início colaborar com o clube, com vídeos e hosts. Sua participação só cresceu junto à estrutura que ele mesmo ajudou e incentivou a construir. O fascínio pela tecnologia também foi fundamental e fez com que Carlos fosse o idealizador das transmissões ao vivo das corridas, que impulsionaram a grande visibilidade do F1BC.

Mas Cadu não veste o terno e gravata, nem faz cara feia. Na verdade ele é a figura que incentiva desde o início a abertura para o bom humor e o contato de igual para igual entre espectadores, pilotos, amigos e comandantes.

Com experiência das antigas no automobilismo virtual, Andre Kimi já atuava na organização de outras ligas até chegar ao F1 Brasil Clube como piloto e, posteriormente, colocar à disposição do clube sua vivência como membro da equipe F1BC.

André iniciou em 2011 sua participação no F1 Brasil Clube como piloto junto a um grupo de amigos, e sempre priorizou estar neste ambiente de amizades, tendo um perfil mais reservado e atuando por poucas equipes até hoje, onde não apenas pratica o automobilismo virtual mas também outros games variados. Nas pistas, sua preferência sempre foi nos monopostos, seja em circuitos mistos ou ovais, o que o levou a apostar em categorias Indy, embora sua coroação tenha sido na Formula Light com o título da temporada 2015/1.

O paulista de Ribeirão Preto surpreendeu ao colaborar com o F1BC em vários departamentos, de tecnologia, pesquisa, configurações, direção de provas, até na atualização de dados e parte de estatísticas e organização geral, colocando seus conhecimentos sobre diversos simuladores em prática.

Desde a época de crescimento do F1 Brasil Clube, Victor Bueno já se mostrava um grande campeão, interessado sempre em contribuir com o automobilismo virtual, e assim passou a integrar a equipe F1BC nos departamentos técnico e esportivo.

O paulista iniciou no clube ainda em 2010, e logo foi campeão na primeira tentativa, na Formula Junior 2010/2, desbancando equipes tradicionais e outras feras. Mas Bueno teve um longo período de pausa em suas atividades devido a vida pessoal, e retornou apenas em 2013. O que ninguém poderia imaginar é que ele voltaria ao topo do pódio e levantaria troféus de campeão novamente. Sua pilotagem limpa e veloz sempre serviu para fórmulas, turismos e qualquer coisa com um motor e quatro rodas.

O que também marcou foi sua esportividade e atenção em detalhes, sempre buscando estar sintonizado com o regulamento, fatores que, somados a sua disponibilidade em colaborar com inovações, sem dúvidas faz deste campeão um grande apoiador no F1 Brasil Clube, seja auxiliando na Direção de Provas ou organizando pinturas personalizadas das equipes.

Profissional de tecnologia e apaixonado por estatísticas, João Augusto logo ganhou espaço na equipe F1BC para cuidar de uma importante área do clube: os números.

Não por coincidência com os demais membros da equipe F1BC, João Augusto foi um piloto exemplar desde seu início de carreira, na Touring Junior em 2015, participando com bom desempenho e muita esportividade. O paulista radicado em Porto Alegre tem em sua vida profissional a tecnologia, programação, números e mais números. E como nem isso é o bastante, João ofereceu seu apoio ao F1 Brasil Clube para organizar as Estatísticas e Rankings F1BC, uma tarefa que exige 100% de atenção e bom conhecimento técnico, além de uma dedicação que testa a paciência de qualquer um, em prol de preservar esta história do clube em algarismos.

Graças a personalidades dedicadas como João, o F1 Brasil Clube consegue trazer os “algo a mais” com conteúdo criativo, entre eles oferecendo o reconhecimento aos pilotos por seus números e feitos, dentre outros diferenciais que quem é piloto virtual sabe bem.

Um grande caso daqueles que lutam por um automobilismo virtual mais desenvolvido e encontram no F1 Brasil Clube o lugar ideal para apoiar a atividade, Bruno Peres talvez não tenha imaginado o quão longe chegaria para fazer parte desta equipe.

O paulista de Sorocaba começou a se aventurar nos simuladores de corrida e logo deu sua contribuição ao esporte virtual ao criar seu canal de vídeos no YouTube, onde ensinava configurações dos games, volantes e técnicas de pilotagem. Sua entrada no F1BC, ainda em 2013, tinha o propósito inicial de Bruno fazer seu “diário de piloto” gravado com cenas de suas participações em corridas oficiais no clube. Peres pegou gosto pela coisa, e com as amizades criadas e fortalecidas decidiu fundar sua própria equipe, encarando o desafio de ser um líder, o que faz com muita competência.

Sempre atento ao regulamento e muito disciplinado, Bruno Peres aproveitou para usar seus conhecimentos e experiência para auxiliar na Direção de Provas do F1BC, mas sem dúvidas tem potencial para muitas outras áreas.

Mineiro de Conselheiro Lafaiete, Felipe Gomes entrou para o automobilismo virtual no F1 Brasil Clube no início de 2015, e logo mostrou talento nas pistas, aliado a uma conduta impecável nas disputas por posição com seus adversários – marca registrada que o levou a condição de Comissário de Provas.

Em 2016, chegou ao título da Touring Light, categoria mais do que disputada, e permanece guiando em alto nível em todas as competição por onde passa, com conhecimentos em todos os simuladores utilizados pelo clube, seja em ovais ou circuitos mistos, conhecendo o regulamento nos detalhes.

Formado em Administração e com MBA em Gestão Estratégica de Logística e Produção, Felipe Gomes encontrou no automobilismo virtual mais uma paixão em sua vida, não apenas dentro das pistas mas também colaborando no desenvolvimento do F1BC.

Da geração 2015 de pilotos virtuais, Marlus Brigola iniciou como muitos outros na categoria Touring Junior no F1 Brasil Clube, e logo se caracterizou por ser aquele piloto consistente e que não abandonava as etapas, fatores que o credenciaram a ser Comissário de Provas no F1BC.

Nascido em Quinta do Sol e vivendo em Ponta Grossa, o paranaense é médico veterinário, amante da natureza, e encontrou no automobilismo virtual uma de suas paixões, a velocidade. Mas ele não se limita apenas aos jogos corridas, embora já seja especialista no assunto. Airsoft, automodelismo, tudo é com o nosso “homem das cavernas”!

Marlus tem experiência com todos os simuladores utilizados no F1BC, além de conhecer as diversas classes de competições, seja monopostos, turismo, em circuitos ovais ou mistos.

Desde 2009 próximo ao automobilismo virtual, Rodrigo Munhoz certamente tem muita experiência para oferecer dentro e fora das pistas, e hoje está na Equipe F1BC nas transmissões ao vivo.

Rodrigo Munhoz começou a ter o contato com a comunidade de automobilismo pela internet desde seus primórdios, com o Orkut, e chegou até a praticar o clássico jogo Batracers antes de pegar no volante e competir no automobilismo virtual. Mas de lá pra cá, muitas amizades foram criadas, após passar por algumas das principais equipes do meio. Tudo isso até ficar em sua própria equipe, e exercer seu potencial de liderança. Seu título da Nascar Light 2014/1 é pouco perto do que o paulista representa dentro e fora das pistas.

Agora, Rodrigo Munhoz está na Equipe F1BC para contribuir com toda sua experiência sobre corridas nas transmissões ao vivo, e se divertindo dentro da comunidade que cresceu com ele, entre amigos, como deve ser.

SAUDADES ETERNAS

Acompanhando o automobilismo de perto, como fã e especialista ao mesmo tempo, Jorge Pezzolo descobriu o F1BC cedo, em 2010, e logo anexou mais estas competições em sua lista das preferidas.

Fanático por corridas e comunicação desde criança, Pezzolo foi daqueles que sabem tudo do assunto: acompanhava, torcia e analisava tudo o que era possível, em especial F-1 e Indy. Sua desenvoltura e conhecimentos profissionais em artes cênicas e edição o levaram a criar seu próprio website e canal com vídeos exclusivos sobre as corridas, a Pezzolo.TV, reconhecida internacionalmente.

Conhecendo a galera que fundou o F1BC até mesmo antes de sua criação, foi uma questão de tempo para Pezzolo se aventurar como piloto, e posteriormente assumir o posto de chefe de equipe (Grip Racing), sendo bem sucedido nesta missão, como um dos maiores que o automobilismo virtual já viu, conquistando vários títulos na liderança de seu grupo.

Jorge Pezzolo ficará marcado para sempre como um dos maiores especialistas em automobilismo e em F1 Brasil Clube, afinal, ele sempre estava presente – mesmo não participando das corridas, estava apoiando sua equipe, ou nas transmissões ao vivo, ou mesmo acompanhando como espectador com uma mensagem de apoio.